Notícias

Crea-TO participa do IX Seminário Nacional de Ouvidores

03/10/2018 16h12 - Atualizado em 03/10/2018 16h28

Ouvidores e representantes de 27 Creas participam do IX Seminário Nacional de Ouvidores, realizado dias 2 e 3 de outubro, em Brasília. O Tocantins foi representado pela ouvidora Gislaine Moreira. O objetivo do evento é trocar informações e estabelecer metas para encarar os atuais e futuros desafios das Ouvidorias. Na abertura da solenidade, os ouvidores foram recepcionados por Joel Krüger, Edson Delgado e por Eunice Francisca da Silva, respectivamente, presidente, vice-presidente e ouvidora do Confea, Fátima Có, presidente do Crea-DF e Jorge Silveira, diretor da Mútua, caixa de assistência.



                                                                                                                                                                                  (Foto: Mark Castro)


De acordo com Gislaine Moreira, o evento é de grande valia, pois possibilita trocas de experiências, informações e dificuldades enfrentadas pelas Ouvidorias do Sistema Confea/Crea, proporcionado a aproximação e ajuda na unificação dos trabalhos realizados. “O seminário abordou esse ano os desafios atuais e futuros da Ouvidoria, os pedidos de acesso da informação ao cidadão, as boas práticas e sobre o tratamento de denúncias em sua Ouvidoria. ”, destaca Gislaine.

No primeiro dia do evento, o presidente do Confea, Joel Krüger, após dar as boas-vindas aos participantes do seminário, defendeu a unicidade nacional de um protocolo no atendimento ao público: “algo que tentamos implantar em todas as áreas, dar um alinhamento em todo o Brasil”. Krüger disse ainda “do papel proativo e do planejamento necessário às Ouvidorias”: “Temos que aproveitar o conhecimento das Ouvidorias como recurso importantíssimo para o planejamento estratégico”. Ele destacou a Lei 8896, que trata da participação do usuário dos serviços da administração pública.

Ao admitir que a emissão de registro profissional é uma questão nacional “que precisa ser resolvida de forma efetiva”, o presidente do Confea afirmou que “as boas práticas das ouvidorias precisam ser disseminadas”. Ele ainda garantiu que “a gestão do Confea está empenhada em dar condições para darmos um tratamento único e mais adequado a quem procura os serviços prestados pelo Sistema Confea/Crea”.


Com informações da Ascom/Confea